História dos Ônibus

Ônibus: passagem livre para a evolução

Flexibilidade. Esta é talvez a principal vantagem do ônibus, criado menos de dez anos depois do automóvel, que Gottlieb Daimler e Karl Benz patentearam em 1886. O termo ’ônibus’surgiu na Franca por volta de 1800,e identificava de início o serviço de diligências. Estas transportavam de 18 a 24 passageiros em linhas regulares. Se por um lado eram luxuosas, tinham contra si todos os inconvenientes dos veículos de tração animal.

No final do século passado, as ferrovias já estavam bastante desenvolvidas na Europa, mas para o transporte de menor raio não havia opção.

Nesse contexto surgiu o ônibus motorizado. O primeiro modelo foi construído por Karl Benz em 1895, derivado de um automóvel Landau, também de sua fabricação. Transportando oito passageiros, permitiu inaugurar um pioneiro serviço de transporte entre a cidade de Siegen e as localidades de Netphen e Deutz, na Alemanha. Na linha eram empregados dois veículos Benz, com motor de 5 cv, que cobriam o trajeto de quinze quilômetros em uma hora e vinte minutos, fazendo cinco paradas.

As dificuldades iniciais desse serviço, porém, foram grandes: estradas mal conservadas, motoristas inexperientes, mau tempo. Tudo contribuiu para que a iniciativa fosse logo abandonada. No entanto, o conceito do ônibus motorizado estava lançado. Faltava apenas aperfeiçoar a técnica. Três anos depois, em 1898, foi inaugurado o primeiro serviço público de ônibus na cidade alemã de Wuerttemberg. Na mesma época, no sul do país, circulavam veículos dos Correios com motores Daimler. Esta empresa, a Daimler, passou a oferecer quatro diferentes modelos de ônibus, com motores Phoenix de 4 a 10 cv e capacidade de seis a dezesseis passageiros.

O início da maturidade

Também com veículos Daimler teve Inicio em 1905 o serviço público de transporte urbano de Berlim. Eram ônibus de dois andares, com catorze assentos na parte inferior e dezoito na superior. Conforme registro da época já no primeiro dia foram transportados 3.900 passageiros.

A técnica evoluía a passos largos. Comprovando sua robustez, um modelo de fabricação Benz completa 12 mil quilômetros rodados sem o menor problema de motor câmbio ou pneus. O feito data de 1910, ano em que foi introduzido o câmbio hidráulico, melhorado o desempenho dos veículos.

Conforto era também uma meta importante. Em 1911, a Daimler lança um ônibus de luxo, com poltronas estofadas, janelas basculantes e calefação no piso. Um veículo muito à frente de sua época.

Na revolução do ônibus, o advento da Primeira Guerra Mundial representa um obstáculo, pois os fabricantes de veículos se concentram na produção de caminhões. No entanto, com o fim do conflito esse panorama começa a mudar. E na década de 20 surgem importantes novidades. O motor diesel é a principal. Mas também são introduzidos o freio a ar comprimido e o chassi de estrutura baixa, com vigas apoiadas sobre o eixo traseiro. Cada aperfeiçoamento melhora a dirigibilidade, o conforto e a segurança dos veículos. As estradas também são melhoradas. E o ônibus conquista adeptos em escala crescente. Dissociado do conceito de caminhão, base para os primeiros modelos, ele atinge sua configuração específica e ingressa na idade adulta.

A década de 30 marca o começo da diferenciação entre os modelos urbanos e os rodoviários. As estradas, cada vez melhores, permitem velocidades sempre mais elevadas. A média, que na Alemanha já alcançava os 73 km/h, passa a superar a casa dos 100 km/h e o transporte em ônibus toma-se mais rápido que o realizado por trem. Tanto nas estradas quanto na paisagem urbana, o ônibus já está definitivamente integrado.

Os anos 50 trazem novos e importantes marcos na evolução do ônibus. Em 1953 é introduzida a carroçaria monobloco, desenvolvida com base na estrutura dos modernos aviões. Hoje adotada no mundo ínteiro, essa inovação verdadeiramente revolucionária veio permitir a construção de veículos mais ágeis, com menor peso, maior estabilidade e mais conforto.

Ao longo dos anos, o ônibus evoluiu muito. E muito ainda está por vir.

Qualidade e liderança

Os primeiros ônibus nacionais foram encarroçados sobre chassis L-312, em 1956. Em 1958 a Mercedes-Benz iniciou, pioneiramente, a produção de ônibus no país, Iançando o O-321, que, por sua estrutura construtiva - monobloco -, revolucionou o transporte coletivo no Brasil. Suas versões urbanas e rodoviárias, cada vez mais aperfeiçoadas, tornaram-se padrão de qualidade.